• Bruno Ratão

PKL sua linda! Você Voltou!


Eeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee! Começou!

Foto: Wesley Diego Emes

A Paulista Kart League volta linda leve e solta! Ui!

Blá blá blá... Inicial

Dia médio... Meio quente, meio nublado, meio feio... Mas cheio de alegria! “Alívio né!”, comentou Bruno Ratão, membro do Comitê Organizador e pseudo-piloto. “Afinal, depois de quase três meses organizando a parada, finalmente o bebê nasceu!”, brincou ele... “E doeu hein...”, completou.

Uns pilotos aliviados, alguns adiantados para a primeira corrida do ano. “Falaram para chegar cedo, cheguei cedo de mais... Acho...”, comentou o alemão Ralf Kronenbürger, piloto da 7BB. “Poderia estar tomando uma weissbier, mas nie nie nie... Falaram para chegar cedo... Né... Kaputt”, completou.

Ralf tendo pensamentos obscuros com uma gelada antes da primeira etapa.

Foto: Wesley Diego Emes

Já outros pilotos estavam animados. Daniel Mazotti (7BB), por exemplo, chegou feliz com o ganho de peso. “Agora engordei, vou ganhar menos lastro!”, disse ele antes da pesagem que auferiu 60 Kg e lhe deu o número máximo de barras.

Primeira e única

Animados ou não, os pilotos da Paulista Kart League partiriam, mais uma vez, para a pista do Kartódromo Ayrton Senna de São Paulo. Sem chuva e com os karts prontos, os pilotos fariam a primeira e a única classificação por tempo do ano.

A etapa de estreia da Temporada 2017 revelaria, logo de cara, algumas surpresas. Durante o treino classificatório, o estreante Wesley Safadão Sandes, RW Racing Team, conquistou a pole, com o tempo de 01:08.674.

“Caramba! E ainda rodei hein... Estava 99% certo de que largaria lá atrás e 1% encanado com isso”, completou o piloto da RWT.

Alinhavam no grid de largada entre os dez primeiros outros dois pilotos novatos. O companheiro de Safadão, Diogo Rissi (P06: 01:09.424), e Douglas Lopes (P08: 01:09.728), da DT Power Racing.

No resto do grid, estava o resto dos pilotos, ora bolas... Todo mundo lá no seu colchete esperando o tio da bandeira ir lá para frente e...

Bandeira verde agitada! (Caramba meu! O cara mal apareceu e já chacoalhou o negócio... Não levou nem para jantar!)

Então...

Os pilotos partem para a primeira curva da Temporada de 2017. Sem incidentes, mas cheio de “sanduichadas”, enquanto cada um tentava achar sua posição na pista em meio à carne, ao pão, à alface...

Rafael Nascimento, piloto da Wacky Races Team, traciona mal na saída e obriga Rissi a achar um caminho alternativo. Ele se direciona para parte externa da curva para proveito de Lopes, que se manteve por dentro no contorno do Bico de Pato.

Rissi parecia um beirute entre Nascimento e Lopes. “Se me espremessem mais, virava esfiha”, comentou ele, após a corrida.

Confira as sanduichadas e disputas da PKL-E01. T-2017.

Tempo: coloque desde o início.

Vídeo: on-board Diogo Rissi (RWT)

No fim, Rissi recolhe, mas fica fora da bagunça. Emerson Inoguti, Miltão Moltor Racing, se aproveita para lhe tomar a posição, enquanto Fábio Ito, RM Racing Machine, já acelerava a frente da chapa toda.

O kart de Inoguti rendia bem. Logo na subida para a Esplanada, o piloto da M2R alcançou Ito e tentou a ultrapassagem. Ito, seu ex-companheiro de equipe, percebeu a manobra e fez bom traçado defensivo para manter a nona posição.

Mas Inoguti estava mais rápido e, logo na abertura da segunda volta, se colocou por dentro nas curvas 01 e 02, fazendo Ito recolher. Rissi, um pouco atrás, acompanhou a manobra e tracionou melhor na saída do Bico de Pato, deixando Ito para trás. Ele e Inoguti fizeram o Bacião lado a lado, até o piloto da RWT levar a melhor.

Neste instante, o cinto modelador de costelas de Inoguti se soltou. O piloto da M2R foi obrigado a parar nos boxes, assim que recebeu a sinalização de bandeira preta com o círculo laranja.

Emerson Inoguti (M2R) dá joinha e vai para a clínica de estética tentar criolipose.

Foto: Wesley Diego Emes.

“O cinto soltou. Pediram que eu parasse. Até voltar à pista, já tinha tomado volta”, comentou Inoguti aos repórteres. Ao ser perguntado sobre os resultados do cinto modelador em seu corpo e número de calça, Inogute apenas acrescentou “uma pena”, deu um joinha e foi embora.

Disputas na meiúca

Um pouco mais atrás, Thiego Urbano (DTP) se coloca por dentro na descida do Bacião e assume a 13ª posição de Rodrigo Gouveia – a.k.a Nenê – da Blue Turtle Racing, durante o contorno da curva 06.

Mas, na volta seguinte, o piloto da DTP erra a tomada da curva 01 e espalha. Nenê então se aproveita para reassumir sua posição, sendo seguido de perto por Valberto Santos (RMT).

Em maior velocidade, Thiego se aproxima de Valberto na reta oposta; se coloca por dentro e retarda a freada para reassumir a P14. Mas, mais uma vez, perde a tangência da curva 01. Valberto reage e ambos fazem o Bico de Pato e o Bacião lado a lado.

Enquanto isso, Nicolas Agent Smith da Fuscão Racing Team – que havia largado dos boxes, após um problema em seu kart – atentava sobre a P16 de Mazotti, na curva da Balança. Mazotti reage e reassume sua posição na curva 01, mas Smith não desiste e manobra por dentro no Bico de Pato para conquistar a posição.

Disputas insanas na meiúca do pelotão.

Foto: Wesley Diego Emes

Neste ponto, ambos se aproximam da disputa entre Thiego e Valberto. O piloto da RMT tenta uma trajetória mais ampla para sair rápido na retomada da curva 06, mas é surpreendido por Smith e Mazotti pela parte de dentro da curva.

Thiego escapa na saída da curva 06 e trava Valberto, para proveito maior de Smith e de Mazotti, que tomaram suas posições e ficaram lado a lado na subida para a Esplanada.

O piloto da 7BB conseguiu se manter por dentro da curva 08 e defendeu sua P14. Mas, ainda antes do miolo da Esplanada, Smith conseguiu se manter próximo para efetuar a ultrapassagem na curva 11.

E na frente

Mais à frente, Thiago Baptista (WRT) defendia sua P04 contra Alexandre Gregoski (BTR), até o ponto em que escorregou na zebra externa da curva 08 e destracionou, para proveito do Gaúcho Muito Macho Sim Senhor.

Boas disputas também mais à frente.

Foto: Wesley Diego Emes

Enquanto isso, a disputa pela P06 entre Nascimento e Lopes se mantinha acirrada. Nascimento tracionou melhor na saída da curva 11 e conseguiu se colocar por dentro da reta oposta, mantendo sua preferência na curva da Balança e assumindo a posição do piloto da DTP.

Ao abrir a volta seguinte, Nascimento perdeu a tangência da curva 01; Lopes e Dante Arnaes, Scuderia Vaca H Pé de Pano, se aproveitaram para tomar sua posição. Mas a trajetória tardia do piloto da WRT lhe deu boa retomada e, logo na curva 02, lhe colocou por dentro para retomar as posições perdidas.

Confira as disputas da PKL-E01. T-2017.

Tempo: coloque desde o início.

Vídeo: on-board Dante Arnaes (SVP)

Neste ponto, Lopes foi obrigado a recolher e Dante se aproveitou para assumir a sétima posição, ficando próximo de Nascimento no contorno do Bacião e forçando espaço na curva 04. Na descida das curvas 05 e 06, ambos ficaram lado a lado; na parte externa e sem espaço, Dante foi obrigado a tirar o pé.

Ao perder velocidade, o piloto da SVP não pode fazer muito contra a investida de Lopes e de Rissi, que acompanhavam a peleja e que lhe tomaram a posição durante a subida para a Esplanada.

Agent Smith, programado para ultrapassar

Agent Smith se aproxima do bolo todo e começar a fatiar o glacê. Na subida da Esplanada, fatia Dante; na tomada da curva 10, fatia Lopes; no Bico de Pato, fatia Rissi... Mas o piloto da RWT não curte doce e se mantém lado a lado até a descida do Bacião, onde recolhe e pega a cereja para acompanhar.

Nicolas Smith (FRT) disputa posição com Diogo Rissi (RWT), para ver quem tem a calça pula-brejo mais estilosa.

Foto: Wesley Diego Emes

Logo, Smith se aproxima da posição de Nascimento. Ao contornar melhor o miolo da Esplanada, ele consegue maior velocidade na reta oposta e se aproxima para realizar a ultrapassagem na curva da Balança, assumindo a P05. Pouco depois, consegue ultrapassar Baptista na Esplanada.

Ao largar dos boxes e ao chegar na quarta colocação, Smith conseguiu ultrapassar 15 pilotos. Algo que nem a Matrix estava esperando. “Nada como uma pílula vermelha no café da manhã”, disse aos repórteres o piloto da FRT, após a corrida. Depois colocou seus óculos Ray Ban, terno, gravata e foi embora.

Ué e a liderança?

Ao largar na pole, Safadão disparou na frente e deixou a disputa para Henrique Sigoli, Senta A Pua Racing, e Ratão (M2R). Assim que se distanciou dos rivais, a equipe da RWT já ouvia o rapaz cantar no rádio:

Tá me soltando demais;

Olha que eu posso sumir;

Cê que sabe;

Eu tô deixando rolar;

Não vou mais me preocupar (...)

Tá cronometrado

O seu tempo tá se acabando (...)

Vai perder, vai perder! (...)

Tá deixando chegar ao fim

(...)

Trem da Alegria, Safadão, Henry Cristo e Mickey Mouse.

Foto: Wesley Diego Emes

Enquanto Safadão estava 99% tranquilo, Henrique e Ratão se bicavam pela P02. Mickey Mouse tentou por dentro na curva da Balança, mas o garoto Whey conseguiu executar um belo X, deixando o piloto da M2R para trás.

O Roda Solta

A peleja entre o piloto da SAP e da M2R continuou por diversas voltas até o momento em que a roda do kart de Henrique se depreendeu na curva do Bico de Pato, faltando apenas três voltas para o fim da corrida.

“Ainda bem que estava em uma curva de baixa... Assim que contornei, vi a roda dançando... Daí ela saiu pulando... E eu fui para a grama!”, disse aos repórteres o piloto da SAP, logo após chegar ao paddock.

Confira o Roda Solta de Henrique na PKL-E01. T-2017.

Tempo: coloque em 17:10.

Vídeo: on-board Bruno Ratão (M2R)

No momento em que Henry Cristo se acidentava, foi possível escutar “Puorrra!!!” no rádio de Ratatouille... Impressionado com o ocorrido, o piloto da M2R não teve muito mais a acrescentar.

“Logo que fiz a curva e comecei a retomar velocidade para o Bacião, vi a roda quicando e passando por mim na pista, tive muita sorte!”, comentou Gregoski.

Os fins e os finalmentes

Para a SAP o fim de semana não seria dos bons. Pouco antes do acidente de Henrique, seu companheiro de equipe, João Sigoli, havia abandonado. Deu ruim também para Mazotti, que foi tocado e rodado na curva 02.

Em meio à neblina espessa que caiu repentinamente sobre e somente sobre a cabeça do piloto da 7BB e daqueles ao seu redor, um acidente seria inevitável sem luzinha de neblina...

Londres sob a perspectiva pós-moderna de Daniel Mazotti.

Foto: On-board do kart da 7BB

Neste ponto, a maior parte das posições já estava definida. Mas algumas boas disputas se mantinham.

Rissi saí melhor no miolo da Esplanada e se coloca na linha de dentro da reta oposta, para tomar a P06 de Nascimento. O piloto da WRT prepara o X na curva da Balança, mas o kart de Rissi está mais veloz e ele consegue sair à frente na reta principal e tomar a posição.

Pouco depois, Lopes se aproxima de Nascimento na subida para a Esplanada. O piloto da DTP consegue se manter por perto e se aproveita da espalhada de Nascimento na curva da Balança para lhe tomar a P07, pouco antes da bandeirada final.

Wesley Safadão Sandes (RWT) 99% feliz 1% satisfeito!

Foto: Wesley Diego Emes

Wesley Safadão Sandes já havia cruzado a linha de chegada, feliz e vitorioso! Para não fazer feio, o piloto estreante da RWT cravou também a melhor volta da corrida, 01:08.125. O pódio foi completado por Ratão (P02) e Gregoski (P03).

  • White Facebook Icon
  • White Google+ Icon
  • White Instagram Icon
  • White Twitter Icon
  • White YouTube Icon

Curta, Compartilhe e Viva a Paulista Kart League

Paulista Kart League PKL

Contato: paulistakartleague@gmail.com

Comitê Organizador

Paulista Kart League

São Paulo - SP