June 23, 2017

May 26, 2017

Please reload

Mais Notícias

Três corridas, três vencedores e três líderes!

June 27, 2017

1/2
Please reload

Fresquinhas! Uiii!

Uma corrida parcimoniosa

September 23, 2016

Cansado de correr no lisinho, Henrique foi procurar maiores desafios na grama. PKL-E05 T-2016.

Foto: Ricardo Wakabayashi.

 

A PKL volta a Barueri, mas dessa vez sem chuva, sem (muita) frescura da administração do Aldeia da Serra e finalmente com os “super karts”.

De maneira contrária à terceira etapa de 2016, a quinta etapa da Paulista Kart League foi recebida com pouquíssimas nuvens e muito sol no Kartódromo Internacional de Aldeia da Serra, onde, finalmente, os pilotos puderam estrear os Super Karts, sem as frescuras de antes, mas com muita parcimônia, ao menos no discurso.

 

“Achei o kart bem legal de se guiar, muito parecido com o de Valinhos”, comentou Nicolas Smith, piloto da JKR Team. “Ele só é um pouco mais pesado; um pouco menos na mão”, completou Ricardo Garcia, da Scuderia Pé de Pano. O piloto da Vaca H Racing Fernando Vivaldini, pra varia, não gostou do kart “pesado pra cacete e só não escapava de traseira na reta”, avaliou.

 

O clima e a temperatura do asfalto influenciariam o aquecimento dos pneus mais duros e determinariam o curso da largada, na qual as discrepâncias se mostrariam na forma de trocas de posição em todo o grid. Aqueles que conseguissem melhor aquecer seus pneus largariam bem, enquanto os demais teriam que resistir e defender suas posições

A parte que importa

 

Ao apagar das luzes, a largada iniciou as disputas, muitas delas antes mesmo da primeira curva. Rafael Nascimento, Wacky Races Team, que largava em sua primeira pole no grid invertido, tracionou mal e parcimoniosamente e foi logo superado por Fernando Vivaldini.

 

Largada ruim e cheia de parcimônia de Thiago Baptista (WRT), que logo foi pressionado por Rodrigo Klauss (JKR) e por Dante Arnaes (SPP), e quase foi atingido por Henrique Sigoli, #07 Bomba Bala. O piloto da 7BB jogou rapidamente seu kart sobre a grama, para evitar a colisão.

 

Confira a largada, o passeio na grama e as primeiras voltas. PKL-E05. T-2016.

Tempo: coloque a partir do início.

Vídeo: on-board Dante Arnaes (SPP)

 

No meio de tudo isso, Alexandre Gregoski, piloto da Blue Turtle Racing, largou muitíssimo bem. Sem parcimônia alguma, o piloto da BTR se lançou sobre as posições mais à frente, tomando a P02 de Fábio Ito, No Name Yet Team, antes mesmo da curva 01.

 

O bom rendimento de Alexandre Gregoski se manteve. Após contornar o grampo da curva 02 e fazer uma boa tomada na curva 03, o piloto da BTR conseguiu se colocar pela parte de fora do traçado para pressionar a liderança de Fernando Vivaldini.

 

Antes mesmo da freada para o cotovelo da curva 04, Alexandre Gregoski já tinha assumido a P01. “Meu kart estava muito bom. Estava sem parcimônia e muito rápido”, comentou ele se referindo ao momento que estava em um bom ritmo e conseguiu a melhor volta da corrida, 00:52.645.

 

Confira a primeira volta para a liderança. PKL-E05. T-2016.

Tempo: coloque em 01:03.

Vídeo: on-board Alexandre Gregoski (SPP)

 

Nicolas Smith conseguiu também uma boa largada, ao se posicionar no meio do traçado. O piloto da JKR pulou da nona posição para a terceira, antes do fim da primeira volta. Já Filipe Fernandes (VH) fez excelente progressão, ao saltar, sem parcimônia, da P15 para a P07.

 

Ao se aproveitar da disputa entre Bruno Ratão, Miltão Moltor Racing, e Dante Arnaes pela P09, Filipe Fernandes se posicionou pela parte mais interna da curva 03, conseguindo a vantagem na curva 04. Mais adiante, na subida da curva 05, o piloto da VH se aproveitou quando Fábio Ito e Rafael Nascimento espalharam, tomando a P07.

Depois da bagunça

 

Depois de uma largada e de uma primeira volta mucho loka, só restou parcimônia mesmo, durante o resto da corrida. “Os rendimentos dos pilotos variaram muito. Em parte, isso se deve às diferenças entre os karts. O meu perdeu muito rendimento ao longo da prova”, comentou Dante Arnaes.

 

Apesar de algumas disputas isoladas, a corrida sucedeu parcimoniosamente. Os grupos se dividiram e se distanciaram. Os líderes Alexandre Gregoski e Filipe Fernandes conseguiram abrir uma vantagem de aproximadamente 12 segundos do pelotão.

 

Filipe Fernandes tenta atacar Alexandre Gregoski com um traçado direfentão. PKL-E05 T-2016.

Foto: Ricardo Wakabayashi.

 

A vantagem excessiva virou distração para o piloito gremista. Durante a décima primeira volta, o piloto da BTR contornou errado a curva 04 e retomou lentamente sua velocidade na subida da curva 05, onde Filipe Fernandes se aproximou.

 

O piloto da VH conseguiu emparelhar e contornar pela parte de dentro a curva 06, assumindo a liderança da corrida. Na volta seguinte, em tentativa de recuperação de sua posição, Alexandre Gregoski acabou rodando, ao frear tardiamente – sem parcimônia – no cotovelo da curva 04.

 

A partir desse momento, Filipe Fernandes estava livre para a vitória. Ao manter um excelente ritmo, na casa de 00:52 alto e obtendo uma vantagem de mais de dez segundos sobre o segundo colocado.

A meiuca

 

Algumas disputas se mantiveram. Destaque para a corrida de Nicolas Smith. O piloto da JKR vinha em excelente disputa com Carlos Eduardo (A.K.A. Cadu), Equipe Hot Rods, e Henrique Sigoli. Os três pilotos chegaram a contornar as curvas 04 e 05 lado a lado, até que o agente Smith conseguisse assumir a P02, enquanto o piloto da BTR rodava bonito e passava a assistir à prova.

 

A disputa tava legal, até que Gregoski se cansa de brigar e decide assistir a briga dos outros. PKL-E05 T-2016.

Foto: Ricardo Wakabayashi.

 

A corrida de recuperação de Alexandre Gregoski rendeu também boas ultrapassagens. Ao se aproximar de Henrique Sigoli, o piloto da BTR aproveitou um deslize na saída de curva para recuperar sua posição pela parte externa da curva 06.

 

Já na última volta, Nicolas Smith errou a tomada da curva 04 e foi surpreendido pelo piloto da BTR, que assumiu a sua P02. Ambos completaram o pódio junto a Filipe Fernandes, que já cruzava a linha de chegada.

 

Primeira vitória o campeão de 2014 nesta temporada. Em cinco corridas, foram quatro pódios para o piloto da VH. “A primeira vez que ganho este ano. Caramba!”, celebrou ele. Alexandre Gregoski conquistou seu terceiro pódio no ano e assumiu assim a vice liderança do campeonato.

 

Destaque também para o primeiro pódio do estreante Nicolas Smith na PKL. “Estou muito contente. Espero que este seja o primeiro de muitos”, declarou em sua coletiva de imprensa o piloto da JKR.

Please reload

Siga