• Bruno Ratão

A decisão do campeonato fica para a última etapa


Troféu de Equipe Campeã de de 2016

Foto: Celular de alguém

A Temporada 2016 chega perto de seu desfecho e mais uma vez terá o título decidido na última etapa.

A atual 5ª temporada foi a mais competitiva de todas da história da liga. Após oito etapas, doze pilotos subiram ao pódio e seis deles se sagraram vencedores.

Disputa pelo título

Entre todos, Filipe Fernandes (VH) e Henrique Sigoli (7BB) foram os melhores e disputam o título.

O campeão de 2014 e vice de 2015, Filipe Fernandes (VH) lidera o atual campeonato!

Foto: Fe Reis

Até o momento, apenas Filipe conseguiu a façanha de conquistar 68 posições acumuladas no ano, sem perder sequer um único lugar em relação à sua posição de largada. Henrique, contudo, não fica em desvantagem, conquistou 60 posições, perdendo somente uma.

Henrique Sigoli acelera na reta de San Marino! Um fim de temporada memorável, com duas vitórias e um pódio!

Foto: Vanessa Bumbiers

Enquanto Filipe obteve uma vitória, na etapa 5, Henrique garantiu duas (na 6 e na 8). Além disso, Chiliquinho ocupou outras quatro vezes o pódio com um P2 e três P3, já o piloto da 7BB, outras duas vezes, com um P2 e um P3.

Neste momento, Filipe acumula 148 pontos e Henrique 144. A vantagem de 4 pontos, embora pequena, garante alguns benefícios em termos de resultados a serem alcançados pelo piloto da VH.

Filipe garante o título caso ganhe ou chegue na segunda colocação na corrida, independente do resultado obtido por Henrique.

Em caso de pódio do piloto da VH, Henrique só será campeão se ganhar a corrida e Filipe chegar na P3. Neste ponto, ambos empatariam em pontos, mas o piloto da 7BB teria a vantagem em relação ao número de vitórias.

Este cenário se repete em caso de Henrique terminar a corrida na P3 e Filipe em sexto. Nos demais resultados possíveis, Sigoli teria que chegar cinco posições à frente de Filipe para garantir o título.

Em todos os cenários de empate, foi desconsiderada a possibilidade de os pilotos obterem um ponto por melhor volta em corrida. Caso um deles obtenha este resultado, a balança penderá a seu favor.

Disputa pelo terceiro

A disputa pela terceira colocação do campeonato segue também acirrada, entre Bruno Ratão (125 pontos), André Macmed e Alexandre Gregoski (ambos 120 pontos).

Mesmo sem vitórias no ano, Bruno Ratão (M2R) conseguiu se manter entre os cinco primeiros na classificação.

Foto: Fe Reis

Ratão tem a vantagem de 5 pontos sobre os demais, mas é o único entre eles que ainda não venceu em 2016. Jihad Joe tem duas vitórias, enquanto o gaúcho tem uma, mas terá a vantagem de largar na pole.

Alexandre Gregoski (BTR) acelera em Barueri. Ano com pódios e uma vitória de ponta a ponta.

Foto: Ricardo Wakabayashi

Caso o piloto roedor chegue ao pódio, a terceira colocação do campeonato fica garantida. Da mesma forma, ele leva o caneco caso chegue à frente dos demais.

Se tanto Jihad quanto a Xuxa chegarem entre a P2 e a P3, basta um P4 ou P6 para que Ratão se mantenha na terceira posição.

Contudo, em qualquer cenário de empate de pontos, tanto Jihad Joe como Katia Ross – eleita a primeira vereadora transexual do RS – tem vantagem pelas vitórias já conquistadas ao longo da temporada.

André Macmed, Jihad Joe, (RBR) em ação! Um ano de recomeço, com duas vitórias.

Foto: Fe Reis

Nas demais posições, André MacMed e Gisele Bündchen teriam que chegar cinco posições à frente do ratíneo para que conquistar a terceira colocação.

Equipes

A ausência de Ricardo Garcia (SPP) na última etapa selou de uma vez o título para a Vaca H, que acumulou 229 pontos contra 208 da Pé de Pano. A vantagem de 21 pontos garante antecipadamente o título no campeonato por equipes.

Mesmo uma vitória de Dante Arnaes (SPP), com Filipe e Fernando (VH) chegando nas últimas posições, não seria suficiente para reverter o quadro.

Existe uma possibilidade remota de a SPP perder a segunda colocação para a 7BB, mas como vice não tem troféu, foda-se!

Tabela de classificação. Após a PKL-E08 T-2016.

Fonte: Comitê Organizador - 05.

Roda Presa

O troféu mais querido do ano estará também em disputa na última etapa. Fabio Ito (N2Y) e Thiago Baptista (WRT) lutam para não levar para casa o Roda Presa de 2016.

Na peleja, o piloto da cota asiática é favorito ao pior do ano. Baptista, por sua vez, tem vantagem de 12 pontos e pode se safar desta.

Fabio Ito (N2Y) em ação durante a etapa de Paulínia, onde chegou a liderar a prova.

Foto: Fe Reis

Ao se considerar as infelizes ausências desta última etapa, mesmo que o intercambista cambojano chegue na quarta colocação e Thiago caia para a 14ª e última colocação, este teria vantagem sobre Ito de dois pontos.

O vietcongue só não leva o Roda Presa caso consiga um pódio. Neste caso, como pódio é critério de desempate, Ito levaria a melhor e deixaria sua estante livre da amarga lembrança.

Thiago Baptista (WRT) em um ano no qual os resultados não apareceram.

Foto: Wesley Emes

Em retrospecto, contudo, a maior desvantagem é de Ito. O okinawa acumula mais resultados ruins do que o piloto da WRT. São cinco resultados piores contra dois. Ao longo do ano, Ito perdeu 62 posições, Baptista apenas 36. Além disso, Ito conquistou apenas sete, já seu rival 13. Entretanto, ambos mantém uma média de chegada em torno da 12ª posição.

  • White Facebook Icon
  • White Google+ Icon
  • White Instagram Icon
  • White Twitter Icon
  • White YouTube Icon

Curta, Compartilhe e Viva a Paulista Kart League

Paulista Kart League PKL

Contato: paulistakartleague@gmail.com

Comitê Organizador

Paulista Kart League

São Paulo - SP